22 de outubro de 2014

Hj eu acordei assim: Pronta para um dia de Sol…

TwinSetes! A primavera tá aí, horário de verão já mudou e nada mais sugestivo que providenciar um look no qual você possa ter por baixo um biquini e se der na telha, correr para a praia, piscina, telhado, onde rolar! Verão é tudo de bom sempre, #Ever! E os looks são tão mais fáceis, mais simples, mais gostosos, mais TUDO! Então, bora se inspirar e correr para os modelitos que podemos tudo, porque uma mulher prevenida vale por duas!

Abra as portas do guarda-roupas e separe as peças mais leves, mais soltas, mais ricas de energia e manda bala no modelito mais apropriado para esta fugidinha! #whynot?

Beijos, T.S JO

Look praia1

Look praia2

Look praia3

Look praia4

imagens: reprodução

  • 0Comente!
11 de julho de 2014

Hoje eu acordei assim: Chique & Cheap

Há um determinado tempo acompanhei um programa fashion show que, honestamente, creio ser fantástico por toda criatividade e responsabilidade social implícitos no envolvimento do contexto apresentado. Este seriado denominado Dresscue-me, é estrelado por Shareen Mitchell, uma mulher linda, loira, que tem um gosto apurado para vestir mulheres, principalmente quando o assunto é construção e desconstrução de roupas.

Shareen Vintage é o nome da Loja de roupas especializada em vestidos antigos retirados, principalmente nos garbages (leia-se locais nos quais as pessoas enviam vestimentas que não lhes interessam mais), em que Shareen visita para poder adquiri-los e recriá-los. Essa é sua grande paixão e habilidade! Ela avalia as peças que vislumbra potencial para uma nova roupa, traz para seu atelier, diga-se também, um brechó nada convencional, e com todo o seu conhecimento, domínio e expertise no departamento de moda, transforma peças out em in num piscar de olhos e ainda torna a vida das mulheres, as quais a procuram, ainda mais doces e incrivelmente especiais, pois as mesmas terão uma peça feita só para elas!

shareen

Além de despertar em mim grande interesse pelo seu trabalho, ela tocou-me de uma forma mais responsável e abrangente para uma característica em evidência nos últimos anos e que tem gerado certa polêmica: o cuidado com o meio ambiente com o avanço desenfreado do consumo e o famoso termo “ecologicamente correto”.

Quando se obtém uma nova peça de roupa, se avalia também o que acontece com as peças que não possuem mais serventia?! O conceito apresentado por Shareen instiga a se pensar sobre a dualidade de uma aquisição: “Eu Preciso/Quero!”  Versus “E Depois?”

shareen vintage

Acredito o quanto seria pertinente para o futuro se conseguíssemos enxergar em nossas peças de roupas, outras roupas e que ao invés de somente investir em mais, pudéssemos também reinventar as que já conquistamos. Não que comprar fosse um verbo que não entraria mais em nosso vocabulário, este jamais poderá ser extinto de nossas maravilhosas vidas, mas esse ponto de vista se encaixa no aspecto de zelo, aprimoramento da consciência do ser humano e acima de tudo, respeito por nós e por tudo que nos cerca.

Há pessoas que já desenvolveram este cuidado, mas para realmente surtir o efeito, a grande massa precisaria estar engajada neste pensamento. Não só pode parecer utópico, como realmente é, mas observar como esta questão funciona muito bem no programa, inspira a querer também fazer da forma mais ambígua possível! Ou seja! Evitando mais roupas e mirabolando algo novo.

Abrir o guarda-roupa pode se uma experiência e tanto para ver o mundo de possibilidades que uma única peça permite entrever. Antes de dar alguma roupa, estude-a! A ideia de ser “ecologicamente Correto” vai muito além da matéria-prima a qual sua roupa foi confeccionada. É Sempre chique e barato reformar. Aliás, é sempre Chique & Cheap!

Para conhecer mais sobre Shareen Vintage clique aqui e aqui

Um beijo, T.S JO

fotos: reprodução / divulgação

  • 0Comente!
25 de abril de 2014

Hoje eu acordei assim: no embalo!

… nada como minha peça favorita – a saia – para dar aquele “up” no visual, ficar ainda mais feminina e querer o mundo! Embale-se no movimento lindo desta peça e voe bem alto!

Um beijo, T.S JO

movimento

fotos: reprodução / divulgação

  • 0Comente!
15 de abril de 2014

Enfim… Balzaquiana! :D

mulher de 30[…] desde os 21, desejo ter 30… e ninguém entendia, né? Afinal, quem quer pular quase uma década para concretizar um desejo? Mas não foi bem assim. É que minha visão de futuro me dizia que ao chegar lá – ou melhor, aqui – eu teria conquistado coisas para minha vida que eu desejara ser/ter desde pequena.

Os anos foram passando. Fui vivendo… tendo conquistas, derrotas, acertando, errando… casei, continuei estudando, fui experimentado coisas, cores, sabores, lugares, conhecendo gente, aprendendo com elas. Fui adquirindo repertório de mundo e me conhecendo.

E enfim… cheguei! E não é que meu sexto sentido funcionou? Estou aqui hoje, completando 30 e tenho exatamente a sensação de ter conquistado tantas coisas boas… me tornado mais leve… ter ganhado o amadurecimento necessário para ir cada vez mais a diante, e por isso não consigo parar de sorrir! Aprendi tanto neste lonnnngo caminho percorrido afinco. Eu devo sorrir… eu mereço sorrir! É o que eu quero que as pessoas guardem de mim…

… o sorriso, o desejo de ter 30 e o termo que eu sempre gostei de pronunciar – Balzaquiana! 😀

a_mulher_de_trinta_anos2{… abro estas chaves, pois no meu texto de hoje, é merecido o comentário!} “A Mulher de Trinta Anos é talvez o título mais conhecido de Honoré de Balzac. Foi este romance que originou o termo “balzaquiana” para designar mulheres maduras. Neste livro o autor penetra de maneira ampla e generosa na alma feminina, a ponto de merecer de sua amiga Zulma Carraud as seguintes linhas: “Você tem uma inteligência do coração das mulheres que nunca foi dada a nenhum outro homem… nunca um homem conseguiu entrar mais fundo na existência delas…”. Balzac, em A mulher de trinta anos, foi um precursor do feminismo, ao mostrar Julie, a infeliz heroína, às voltas com problemas fundamentais da vida amorosa e sentimental das mulheres e com o fracasso do casamento. Conforme apontaram os críticos Gabriel Hanotaux e Georges Vicaire, “Balzac prestou às mulheres um serviço imenso, que elas nunca lhe poderão agradecer suficientemente, pois duplicou para elas a idade do amor… Curou o amor do preconceito da mocidade”. Honoré de Balzac nasceu em Tours, França, em 1799 e morreu em Paris em 1850. ” {…}

E como uma Balzaquiana que, de fato, Hoje sou, registro aqui o que a Moda das décadas passadas marcou em mim!

Anos 90 – muito garotinha ainda, não tinha voz para manisfestar minhas vontades, mas pitaco eu já dava sim. A Calça cintura baixa foi um marco e meu piercing também!

Anos 2000 – Período em que criei minha identidade. Foi muito bacana poder fazer parte de uma época cheia de ideais contemporâneos e ao mesmo tempo, o início de uma busca pelo passado. Ainda eu não sabia o que a palavra Moda significava.  Na primeira metade da década, Moda ainda era o que existia nas vitrines. Aos poucos fui me interessando pelo real significado – COMPORTAMENTO – e neste momento, internalizei-a em mim. Pontos Marcantes: Comecei a dominar o “Pode tudo”.

Anos 2010 – O Blog nasceu! Foi um marco no meu Dress Code! Parafraseando Coco Chanel: Vista-se mal e notarão o vestido. Vista-se bem e notarão a mulher. Esta Frase me inspirou a tentar sempre, todos os dias, a exercitar minha capacidade e criatividade na hora de fazer minhas escolhas.  O espelho e algumas horas livres tornaram-me ainda mais dedicada e instintiva. Esta Década ainda estou escrevendo, mas com certeza, é a minha melhor fase. Com os gostos mais lapidados, hoje visto-me conforme o andar da minha própria carruagem, de acordo como eu quero ver e ser vista pelo mundo!

A Garota dos 20! (de fato, eu tinha 20 anos na foto)

foto

A Mulher dos 30 de Hoje!

foto 1 foto 2

Um beijo, T.S JO

  • 3Comente!
11 de março de 2014

Hoje eu acordei assim: Alegria Padaria Brasileira

alegria

[…] conheci  assim, apenas ouvindo uma amiga falar sobre… O nome ALEGRIA me chamou tanta a atenção… e o fato de ser brasileira em todos os sentidos, arrematou meu coração. Não fui lá (ainda), mas me encantei com a história dele (do padeiro). Fui pesquisar a respeito e me vi completamente absorvida pelo contexto, pelas fotos do local, pela mágica e amor que senti/percebi ao fuçar na FanPage da padaria e imediatamente quis dividir aqui este achado! É  tudo tão poético, leve, simples…. estou, de fato, encantada!

padaria2-580x870

Marcelo, desculpe a intimidade, mas se eu contar algo errado, depois você me corrigi. Vou falar um pouco sobre você e sobre a forma doce que você resolveu a sua vida para inspirar mais pessoas… mais vidas.

Ele teve uma parada cardíaca e este drástico acontecimento o fez repensar sua rotina, seu trabalho. Largou sua carreira na Indústria de perfumaria e foi despertar um sonho antigo – trabalhar com Comida Brasileira. Foi aí que ele vislumbrou a Alegria Padaria Brasileira, já tinha no currículo a formação de Padeiro, especializou-se ainda mais e tratou de fazer suas ideias se materializarem da forma mais deliciosa possível.

O Lema?

1003938_419951591466259_1292274433_n

Especial né? Mas não pára por aí! O pouquinho que li e pesquisei me fez querer estar lá. Sabe quando a gente saca que não precisa de muito ou precisa de quase nada para ser feliz? Foi isso que capturei da Alegria. #fantástico Sem contar que tudo é feito artesanalmente e alguns de seus ingredientes são a banana, açaí, mandioca e castanha do Pará.

2014-02-02-15.41.32low

alegria2

… E ela é tão charmosa! Cheia de detalhes gostosos pelo que vi nas fotos todas retiradas da FanPage. 

1497777_424764710984947_494665073_n

alegria1

Olha que bacana, você recebe seus pães dentro de uma sacola linda e cheia de Alegria… 😀

1014092_444131909048227_1257118531_n

E há os recados carinhosos também.

alegria3

fotos: reprodução / divulgação – FanPage Alegria

 

Marcelo adorei tua história! Mais sucesso, mais Alegrias para você! Ah! Quem visitar primeiro, me conta como foi a experiência?! Combinado? Segue o endereço! Rua Dr. Rafael de Barros, 272 Jd Paulista SP.

Um beijo,

T.S JO

alegriaa

  • 4Comente!